Empreender - Transferir - Comercializar

São imensos os desafios que, atualmente, se colocam às Universidades. A estratégia que tem condicionado a realidade das Universidades aponta para a valorização do conhecimento por elas produzido, procurando sempre que possível a convergência entre a investigação desenvolvida e a sua transferência para o tecido empresarial.

Neste enquadramento, a valorização do conhecimento tem assumido uma posição de destaque como estratégia para o desenvolvimento regional e nacional em dois níveis distintos mas interligados. O primeiro corresponde ao impulso a uma economia mais sólida e necessariamente mais especializada, isto é, a aposta em áreas estratégicas que possam valorizar os recursos endógenos dos territórios e simultaneamente motivar uma maior proximidade da produção científica das Universidades às necessidades dos territórios. Por outro lado, o aumento das qualificações dos recursos humanos que compõem o mercado de trabalho, correspondendo também a uma oportunidade para devolver ao tecido produtivo, por essa via, o conhecimento adquirido.

A trajetória para a valorização do conhecimento não é linear e pressupõe um esforço permanente por parte de entidades públicas e privadas na convergência entre a investigação produzida e as necessidades das empresas. De facto, constata-se que esta convergência, baseada em investigação sólida, corresponde a um processo gradual de aproximação e de estabelecimento progressivo de relações de confiança. Este ponto condicionou uma das iniciativas da Universidade do Algarve (UAlg), que formalizou em 2010 a Divisão de Empreendedorismo e Transferência de Tecnologia (CRIA) como uma Divisão Funcional da Universidade, tornando-se parte da Unidade de Apoio à Investigação Científica e Formação Pós-Graduada (UAIC). A sua missão consolidou-se em torno do apoio ao desenvolvimento de ideias de negócio de base tecnológica e da transferência do conhecimento produzido na Universidade, na expetativa da sua inserção no mercado.

Assim, com o principal objetivo de estreitar relações entre a Academia e o tecido empresarial, a UAlg procura desempenhar um papel ativo na valorização do conhecimento produzido através da transferência de tecnologia, da criação de novas empresas de base tecnológica (start-ups e spin-offs), da generalização do recurso à proteção dos Direitos de Propriedade Industrial e do desenvolvimento de infraestruturas com capacidade de resposta tecnológica às principais áreas de investigação científica.