Mirian Tavares integra equipa de curadores para a Rede Portuguesa de Arte Contemporânea

Mirian Tavares, docente da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais (FCHS) e coordenadora do Centro de Investigação em Artes e Comunicação, vai integrar a equipa consultiva de curadores que irá desenvolver a Rede Portuguesa de Arte Contemporânea (RPAC), plataforma de circulação, divulgação e promoção da arte contemporânea.
Share
 

Mirian Tavares, docente da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais (FCHS) e coordenadora do Centro de Investigação em Artes e Comunicação, vai integrar a equipa consultiva de curadores que irá desenvolver a Rede Portuguesa de Arte Contemporânea (RPAC), plataforma de circulação, divulgação e promoção da arte contemporânea.

Coordenada por Américo Rodrigues, diretor-geral das Artes, a equipa é ainda composta pelo curador da Coleção de Arte Contemporânea do Estado (CACE), David Santos, e, além de Mirian Tavares, personalidades da área, como Ana Cristina Cachola, Delfim Sardo, Inês Grosso, João Mourão, Jorge Costa, José Alberto Ferreira, José Maçãs de Carvalho, Márcia de Sousa, e Marta Mestre.

Segundo comunicado do Ministério da Cultura, “esta equipa será responsável pela implementação da estratégia da RPAC, incluindo os necessários procedimentos de adesão a esta rede, garantindo o cumprimento dos objetivos definidos na Resolução do Conselho de Ministros, bem como outros que a equipa considere adequados e pertinentes para uma eficaz promoção da arte contemporânea".

A criação da equipa consultiva surge por resolução do Conselho de Ministros, em abril deste ano, na sequência da criação da RPAC, tendo a ministra da Cultura, Graça Fonseca, dado seguimento ao despacho para a sua constituição, mediante proposta da DGArtes.