30 anos - 30 testemunhos

30 ANOS ERASMUS | ERASMUS 30YEARS 
1987 - 2017

 

30 anos - 30 histórias



GERAÇÃO ERASMUS

NOME: Rodrigo Lisboa* - Estudos (GERAÇÃO ERASMUS)

IDADE: 33
PROFISSÃO: Técnico de aquacultura
LOCAL: Marine Harvest - Noruega
CURSO: Aquacultura e Pescas

INSTITUIÇÃO: University of Warmia and Mazury -  Olsztyn
PAÍS: Polónia
ANO: 2009/2010

«Foi uma experiência muito rica e única. Umas das melhores experiências da minha vida. Eu fui para um país totalmente diferente, língua diferente, cultura diferente, com diferente rotinas. Foram todas essas diferenças e o custo de vida mais reduzido que me levaram até à desconhecida Polónia. Aliado também à existência de um protocolo entre a Universidade do Algarve e a Universidade de Warmia e Mazury que facilitava a questão das equivalências das cadeiras. Fui para a Polónia para fazer 3 cadeiras e a tese de mestrado. Portanto no dia 29 de Setembro de 2009, lá embarquei rumo à Polónia somente com metade da bagagem porque a outra metade rumou para outras paragens. Logo aí começou a aventura, pois tive dificuldades em explicar para onde iria e somente com ajuda de uma jovem consegui comprar o bilhete de comboio para o destino (que ficava a 4h de comboio). Com dificuldade lá cheguei ao destino onde estava uma "buddy" para me ajudar na acomodação na residência mista de estudantes, onde só viviam polacos.
A aventura na Polónia foi espectacular. Conheci muitos outros estudantes de Eramsus, de Espanha, Itália, Turquia, etc, das quais ainda mantenho contacto. Fiz também belas amizades com polacos. A barreira linguística é muito grande, nem toda a gente fala inglês, mas o que torna as coisas muito engraçadas e onde se pode desenvolver a capacidade de "desenrascanço". É necessário ser extremamente positivo e procurar sempre soluções e não as dificuldades. Eu tinha a ligeira impressão dos polacos serem frios e não gostarem de estrangeiros, mas não senti nada disso. Os polacos que conheci foram bastante simpáticos e prestativos. Não senti quaisquer dificuldades de integração, que na universidade, que nas rotinas diárias.
Devido a esta aventura a minha vida tomou um rumo que não esperei. Foi na Polónia que conheci a minha esposa, na qual formamos família com o pequeno Artur e onde outro bebé está a caminho. Foi devido à minha tese de mestrado lá realizada que me abriu portas a nível profissional na Noruega. Só tenho a agradecer à organização Erasmus por me ter dado esta oportunidade de conhecer uma realidade diferente, de desenvolver diversas capacidades.
Sugiro que quem tenha oportunidades de realizar Eramus, que o faça, independentemente do país, vai com toda a certeza adorar e "crescer".»

 


Famosos

NOME: Diogo Piçarra - estudos

IDADE: 26
PROFISSÃO: Cantor e compositor, vencedor do programa de TV Ídolos em 2012

INSTITUIÇÃO: Universidade de Palacký
PAÍS: República Checa
ANO: 2011/2012


Diogo Piçarra – 26 – Portugal

«Quando me perguntam qual foi o momento decisivo da minha carreira ou quando é que comecei a pensar em seguir uma carreira na música, respondo que foi durante a minha experiência no programa Erasmus. Recomendo o Erasmus a 100%.»
Antes da sua experiência Erasmus, Diogo tocava numa banda enquanto estudava na Universidade do Algarve. Só depois de ter passado um semestre na Universidade de Palacký, em Olomouc, na República Checa, é que decidiu deixar tudo para trás e encontrou a coragem necessária para começar uma carreira a solo.
Quando regressou a Portugal, em 2012, Diogo sagrou-se vencedor da competição televisiva de talentos musicais «Ídolos». A experiência teve um impacto direto na sua carreira e, atualmente, é um músico experiente, tendo lançado o seu álbum de estreia em 2015.
Valoriza a possibilidade de conhecer novas culturas e locais: «Há 70 anos, não nos podíamos movimentar livremente. O facto de podermos viajar para outro país e, muitas vezes, utilizarmos a mesma moeda, faz-nos sentir que estamos verdadeiramente unidos.»
O programa Erasmus+ proporcionou-lhe experiência de vida na primeira pessoa e num país diferente que, de outra forma, só teria conhecido através da televisão. Além disso, proporcionou-lhe a oportunidade de dar valor às coisas que tem no seu próprio país. O Diogo considera que a geração Erasmus+, através da mistura de culturas, pode ajudar na luta contra a discriminação, preconceito e exclusão social.»


fonte: https://ec.europa.eu/programmes/erasmus-plus/anniversary/spotlight-bringing-europe-together_pt



Mobilidade staff

NOME: Maria Margarida Vargues - mobilidade staff

SERVIÇO: Biblioteca da UAlg

INSTITUIÇÃO: Avans University of Applied Science
PAÍS: Holanda
ANO: 2015/2016

 

«O contacto com as várias bibliotecas e com os bibliotecários dedicados às muitas áreas e serviços para a comunidade académica foi muito positivo. A troca de experiências e ideias permitiram enriquecer os conhecimento e alargar contactos.»


 


 

NOME: Carmen Cunha - mobilidade staff

SERVIÇO: Gabinete de Avaliação e Qualidade - GAQ

INSTITUIÇÃO: University of Southampton
PAÍS: Reino Unido
ANO: 2016/2017

«A participação, através do Programa ERASMUS+, em mobilidade de staff, representou:

- uma oportunidade para contactar e aprender com colegas que possuem a experiência da Universidade de Southampton que já tem um sistema de Garantia da Qualidade implementado há algum tempo;
-  a experiência de constatar uma realidade cultural e organizacional distinta;
- a partilha de experiências e de boas práticas, quer ao nível da garantia da qualidade quer a nível da liderança.

É uma experiência que recomendo vivamente a todos os colegas, e que espero poder vir a repetir.»

 

NOME: Salomé Horta  - mobilidade staff

SERVIÇO: Biblioteca da UAlg

INSTITUIÇÃO: Instituto Politécnico de Valência
PAÍS: Espanha
ANO: 2015/2016

«A experiência foi muito positiva e permitiu uma enorme partilha de experiências entre os participantos de diversos países.
Conhecer outras realidades, boas práticas, comparar e partilhar conhecimentos.»

 

NOME: Nélia Brito Sequeira -  mobilidade staff

SERVIÇO: Biblioteca da UAlg

INSTITUIÇÃO: Helsinki University
PAÍS: Finlândia
ANO: 2014/2015

«Tive a sorte de participar na ISEW Library 2015 nas Bibliotecas da Universidade de Helsinquia. Digo sorte pois tratou-se de uma seleção de 15 participantes de um total de mais de oitenta candidaturas. Foi uma semana incrível, de experiências, novas realidades e contactos com colegas de vários países da Europa. Sendo a língua de comunicação o inglês, também houve oportunidade de falar espanhol, francês e alemão e uma ou duas palavras de suomi (finlandês), que é uma lígua deveras difícil.
Uma das conclusões desta experiência é que os bibliotecários têm preocupações e aspirações de trabalho semelhantes, nos diferentes países europeus. É fantática a possibilidade de trocar experiências e aprender em conjunto com exemplos concretos de sucessos e insucessos, independentemente das realidades orçamentais de cada biblioteca. Outra das conclusões é que aprendemos sempre, com novos parceiros e novos contextos, e estes programas são oportunidades valiosas para conhecer os mais recentes desenvolvimentos levados a cabo nas bibliotecas da Europa e estabelecer contactos para relações profissionais e cooperação.»

 

NOME: Teresa Maria Gonçalves Cavaco - mobilidade staff

SERVIÇO: Escola Superior de Educação e Comunicação

INSTITUIÇÃO: Universidade de Huelva
PAÍS: Espanha
ANO: 2016/2017

«A realização de uma mobilidade de “staff”, pelo Programa ERASMUS +, permitiu –me contactar com uma outra realidade cultural e profissional, adquirir e actualizar conhecimentos.
Recomendo a todos os colegas não docentes a realização deste tipo de programas e espero, brevemente, repetir a experiência noutro pais.»


mOBILIDADE dOCENTE

NOME: Marina Estela Graça - mobilidade docente

DOCENTE
U.O.
: Escola Superior de Educação e Comunicação

INSTITUIÇÃO: Universidat Politècnica de València
PAÍS: Espanha
ANO: 2016-2017

«Fui recebida no departamento de Desenho, da Faculdade de Belas Artes da UPV, com a qual a UAlg ainda não tinha intercâmbio, para apresentar 2 seminários sobre modelos teóricos em Animação aos investigadores e aos alunos das unidades curriculares das licenciaturas e pós-graduações.
Apresentei-os em português, com diapositivos em inglês. Conseguimos comunicar bem. Houve alguma discussão, com intervenção de docentes e de alunos.
Das duas vezes tive a sala cheia.
No primeiro, uma das investigadoras presentes (Ana Beltrán Porcar) fez-me o retrato enquanto tomava notas e deu-mo, espontaneamente, quando lhe pedi que mo mostrasse. No segundo, a fotógrafa de serviço, uma bolseira, esqueceu-se de fazer fotografias enquanto tirava notas. Acabei, por isso, por ficar com um registo visual diferente, inesperado, da minha visita.
Vivi, estudando ou trabalhando, em 5 países diferentes, mas nunca em Espanha.
Nos outros países, aprecio as diferenças nos modos de pensar e de lidar com situações que me são comuns. Gosto de poder aprender palavras, abordagens e processos novos com as pessoas que me acolhem. Acho que nunca fiz turismo.
Deste último intercâmbio guardo o carinho e o envolvimento, a companhia dos meus colegas na UPV e pela cidade, na manhã livre; a minha atrapalhação ao tentar fazer-me entender sem dizer disparates; o pão barrado com puré de tomate no pequeno-almoço!
Gostaram do meu trabalho e vamos continuar a colaborar. Vou regressar em outubro para uma conferência pública durante uma exposição importante.»


 

NOME: JOSÉ VALENTE DE OLIVEIRA - mobilidade docente

DOCENTE
U.O.
: Faculdade de Ciências e Tecnologia

INSTITUIÇÃO: Izmir University
PAÍS: Turquia
ANO: 2015-2016

«Extraordinária.
Leccionei um curso curto sobre Fuzzy Sets and Systems.
Apresentei algum do meu trabalho recente de investigação na Faculty of Engineering.
Contactei com vários colegas e estudantes graduados.
Iniciei uma colaboração científica com a Prof. Gözde Ulutagay sobre density-based clustering cujos primeiros resultados serão publicados a breve trecho.
Conheci a cidade de Izmir, suas gentes e costumes.»


 

NOME: Ana Filipa Maia Rafael - mobilidade docente

IDADE: 29
DOCENTE
U.O.
: Departamento de Ciências Biomédicas e Medicina
PROFISSÃO: Médica Interna da Especialidade de Ginecologia e Obstetricia e Docente de Problem Based Learning
TRABALHA: Centro Hospitalar do Algarve e Departamento de Ciências Biomédicas e Medicina da UALG, respectivamente

INSTITUIÇÃO: Universidade de Manchester
PAÍS: Reino Unido
ANO: 2017

 
 

«No ano lectivo de 2008/2009 fui de Erasmus um ano para Perugia, Itália (no 3º ano do curso de Medicina). Foi uma experiência extraordinária, mudar de horizontes sem sequer falar a lingua local.
Em 2011/2012 fiz um Erasmus placement em Wroclaw, Polónia de 5 meses onde pude ver a realidade clínica de outro hospital, no meu último ano lectivo como estudante. No fim desse ano escrevi a minha tese, justamente sobre a educação médica, uma comparação entre o ensino médico Perugino vs o ensino médico em Coimbra.
Curiosamente, uns anos depois, já como docente de PBL do MIM da Ualg, é me atribuído novamente a bolsa erasmus para prosseguir a minha formação. Tive a oportunidade de visitar durante uma semana a Universidade de Manchester para aprofundar os meus conhecimentos em Problem Based Learning, com já algum impacto positivo na minha performance como docente.
Posso dizer sem qualquer duvida que o Programa Erasmus mudou a minha vida, tornando me a pessoa que hoje sou. Seja pelo choque da barreira linguística num país novo, seja por contactar com pessoas de todo o mundo, com vivenciais extremamente diferentes e aprender a lidar com todas, seja por ver as disparidades entre recursos e métodos de ensino, ao mesmo tempo que as dúvidas e as dificuldades são transversais... Sou melhor médica e melhor professora por todas as experiências que o programa me facultou.» 


 

NOME: Cláudia Ribeiro de Almeida - mobilidade docente

DOCENTE
U.O.
: Escola Superior de Gestão, Hotelaria e Turismo

INSTITUIÇÃO: Université Savoie Mont Blanc
PAÍS: França
ANO: 2016-2017

 

«Fantástica... sempre me disseram que devemos visitar, pelo menos uma vez por ano, um local que não conhecemos... e lá fui eu.

Chambéry, simplesmente fantástico, acolhedor, uma cidade inesquecível, com uma magia muito própria e uma Universidade no centro de tudo envolvida por uma beleza natural simplesmente inesquecível.

Foi a minha terceira experiência em Erasmus e sem dúvida um local a repetir. Colegas super prestáveis, alunos interessados, definitivamente um local muito interessante para estudar, investigar e visitar de quando em vez.
»

 

NOME: Maria da Graça Cristo dos Santos Lopes Ruano - mobilidade docente

DOCENTE
U.O.
: Faculdade de Ciências e Tecnologia

INSTITUIÇÃO: University College Cork
PAÍS: Irlanda
ANO: 2016-2017

«Foi uma excelente oportunidade para restabelecer laços de cooperação científica, alinhavando futuras orientações conjuntas de jovens investigadores. Sob o ponto de vista administrativo foram discutidas experiências com o processo Bolonha. Sob o ponto de vista de ensino foram partilhados conteúdos programáticos de unidades curriculares nas áreas de processamento de sinal com especial ênfase nas aplicações em engenharia biomédica, tendo sido elaborado em conjunto o esqueleto do conteúdo programático de uma unidade curricular designada por 'Biomedical Research Ethics', a promover em ambas as instituições


 

NOME: Elisa Maria de Jesus da Silva - mobilidade docente

DOCENTE
U.O.
: Instituto Superior de Engenharia - DEC

INSTITUIÇÃO: Universidade de Sevilha
PAÍS: Espanha
ANO: 2011/2012

 

«Fantástica ! Estive a trabalhar todos os dias de manhã com uma equipa excepcional, que me acolheu muito bem e me acompanhou durante esse tempo. Fui convidada por um dos professores que me acompanhou para jantar um "Rabo de Toro" num restaurante magnífico e requintado... muy exquisito (significa excelente) !!! Da parte da tarde trabalhava na biblioteca ou aproveitava para visitar a cidade, a qual é lindissima. Também aproveitei para ir visitar a Isla Magica com a minha filhota.»




 


Mobilidade ESTUDOS

NOME: Sara dos Santos Cabral - estudos

IDADE: 25
PROFISSÃO: Bióloga marinha
TRABALHA: Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental
LOCAL: Paço de Arcos

INSTITUIÇÃO: Wageningen University
PAÍS: Holanda
ANO: 2012

 

«Ter a oportunidade de fazer uma parte do nosso percurso académico noutra Universidade e noutro país é simplesmente uma experiência fantástica! Atrevo-me a dizer que deveria fazer parte do plano curricular ter essa vivência. Ser estudante de ERASMUS é conhecer um país diferente, uma cultura diferente, um povo diferente, é ter oportunidade de viver como um residente nativo, imerso num mundo alheio. Mas ser estudante ERASMUS é também aprender conceitos enriquecedores na nossa área académica, conhecer técnicas e metodologias diferentes. Só assim podemos abrir os nossos horizontes, passando a ser um cidadão do Mundo!»
 

 


 

NOME: Sónia Cristina Sequeira Martins - estudos

IDADE: 37
PROFISSÃO: Fotografa/ Socia Media
LOCAL: Lima - Perú

INSTITUIÇÃO: Universidad del País Vasco - Bilbau
PAÍS: Espanha
ANO: 2011/2012

 

«Ir para a universidade de Bilbau foi a melhor experiência que poderia ter tido em toda a minha vida académica. Ia para fazer um semestre, gostei tanto que acabei por fazer o semestre seguinte e o estágio. Depois de ter acabado o Erasmus e a Faculdade ainda fiquei a viver lá mais 1 ano.
À parte de ter recibido bolsa da parte da UALG,  fui a 1ª aluna da universidade  a fazer Erasmus na Universidade de Bilbau (porque dantes não havia acordo) e sei que depois de mim foram mais alguns alunos, porque alguns até me contataram. Agradeço à prof Cristina Firmino pelo seu constante apoio.»


 

NOME: Ana Raquel Santa Maria - estudos

IDADE: 26
PROFISSÃO: Doutoranda no Biological Research Center
LOCAL: Hungria

INSTITUIÇÃO: Universidade de Groningen
PAÍS: Holanda
ANO: 2013/2014



«Realizei o meu Erasmus na Universidade de Groningen, Holanda. Erasmus é uma experiência única, desde o dia em que chegamos ao país de acolhimento até ao último dia. As atividades, a receção, as aulas, tudo é planeado ao pormenor para que esta experiência seja inesquecível. A integração neste país permitiu conhecer uma nova cultura, novas pessoas, novas experiências; experiências estas que nunca iria viver no meu país. No momento em que saímos da nossa zona de conforto e vamos há procura de aventura e explorar o Mundo, todos os momentos, todos os pormenores são vividos ao máximo. Posso dizer que esta experiência mudou a minha vida quer pessoalmente, quer profissionalmente.
Decidi realizar Erasmus para fazer a minha pesquisa para a minha Tese de Mestrado, esta decisão foi das melhores decisões que poderia ter tomado até aos dias de hoje. Pois, a experiência vivida, num laboratório diferente, com uma língua diferente, regras diferentes, permitiu-me adquirir novos conhecimentos, aprender novas técnicas e melhorar tudo o que tinha aprendido durante os meus estudos. Esta experiência internacional levou-me a ter uma perspetiva diferente pelo mundo de trabalho, sem ter medo de arriscar e sair fora da zona de conforto para trabalhar. Assim, candidatei-me a um projeto internacional BtRAIN, onde ganhei uma bolsa Marie Sklodowska Curie Innovative Training Network para realizar o meu doutoramento. Neste momento estou a realizar o meu doutoramento no Biological Research Center (centro de excelência da União europeia) em Szeged, com o tópico : “In vitro models of the blood-brain and blood-CSF barriers using an integrated microfluidic device” inserido no projeto internacional BtRAIN, no qual irei trabalhar com parceiros académicos e parceiros industriais.
Um dos momentos únicos que vivenciei e que me ficaram na memória, foi o festival Holandês “kings day”, onde é celebrado o aniversário do Rei da Holanda. Neste dia, todas as pessoas vestem algo cor de laranja, e o espírito de partilha, festa e acima de tudo alegria, prevalece durante todo o dia.
Outro momento, foi o último dia, em que é feita a despedida dos novos amigos, e de todo o novo espaço conquistado. Este dia fica para sempre na memória, pois cria um aperto muito grande no coração, deixando saudade e o sentimento de tristeza, sem saber quando iremos voltar a encontrar-nos e se iremos voltar novamente ao país que nos acolheu durante 6 meses.
Aos meus colegas que estão em dúvida se devem ou não fazer Erasmus, a minha resposta é NÃO HESITEM. Não tenham medo de sair da vossa zona de conforto, não tenham medo de arriscar e ir à procura de novas aventuras. Pois, garanto que esta experiência irá mudar para sempre a vossa vida, quer a nível pessoal quer a nível profissional. E um dia irão olhar para trás e irão dizer “Ainda bem que tomei esta decisão”.»


 

NOME: Sandra rodrigues - estudos

IDADE: 40
PROFISSÃO: Profissão atual Tecnica de Património Cultural
LOCAL: Silves

INSTITUIÇÃO: Universita' degli Studi di Napoli Federico II
PAÍS: Itália
ANO: 2004

A Sandra Rodrigues classificou a sua experiência Erasmus como "Gratificante".

 

NOME: SARA ALVES - estudos

IDADE: 30
PROFISSÃO: Jornalista
LOCAL: Open Media

INSTITUIÇÃO: Charles University Prague
PAÍS: Itália
ANO: 2007/2008

A Sara Alves considerou a sua experiência Erasmus simplesmente como "Inesquecível"!


 

NOME: david saraiva - estudos

IDADE:
PROFISSÃO:
LOCAL: MGM Technology Partners - Rep. Checa
CURSO: Mestrado em Engenharia Elétrica e Eletrónica

INSTITUIÇÃO: University of Wet Bohemia - Pilsen
PAÍS: República Checa
ANO: 2014/2015

VIDEO

 

NOME: Julia Faracini - estudos

IDADE: 27
CURSO: Geomática

INSTITUIÇÃO: Universidade de Gent
PAÍS: Bélgica
ANO: 2014

«Através do programa Erasmus pude realizar parte dos meus estudos de mestrado na Bélgica, na belíssima e história cidade de Gante - uma das maiores cidades da Bélgica, juntamente com milhares de outros colegas de diferentes partes do mundo. Considero a minha experiência Erasmus enriquecedora, não apenas academicamente como em minha vida pessoal. Recomendo o programa Erasmus a todos os colegas estudantes que buscam novos conhecimentos e amizades.»

 

NOME: James Foot

IDADE: 25
PROFISSÃO: Estudante
LOCAL: Faro - UAlg
CURSO: Mestrado Integrado em Engenharia Electrónica e Telecomunicações

INSTITUIÇÃO: Istanbul Technical University
PAÍS: Turquia
ANO: 2013/2014


P.S. A fotografia é de uma viagem que fiz com amigos que conheci durante o meu período de mobilidade.

«Em 2014, eu tive uma grande oportunidade de ir estudar no estrangeiro com o programa Erasmus. Nessa altura andava à procura de uma nova aventura, de um novo desafio, e de conhecer uma nova parte do mundo, e de todas as opções que me foram dadas, o único sitio que tinha todas as características que procurava era a cidade de Istambul na Turquia. Então escolhi ir estudar durante 5 meses no Istanbul Technical University (ITU), e adorei cada minuto que la estive.
Para quem não sabe, Istambul é uma das maiores cidades do mundo, com uma história rica, uma enorme variedade de culturas e de arquitecturas, uma grande diversidade gastronómica e pessoas super simpáticas. Uma das melhores actividade para fazer durante a minha estadia em Istambul era atravessar de barco o estreito que separa o continente europeu do asiático.
Em relação a universidade, antes de ir para Istambul na tinha pesquisado nada sobre a universidade e por isso não sabia o que esperar, mas quando vi o campus pela primeira vez fiquei espantado. O campus principal da universidade, onde ficava a faculdade de electrónica, tem 2 quilómetros quadrados e ficava a 30 minutos de metro do centro da cidade. Este campus mesmo tinha tudo o que um estudante precisa, desde piscinas olímpicas, campos de futebol, basquetebol, voleibol e ténis. Também tinha cantinas e zonas de restauração, um centro de congressos, supermercados, residências, bibliotecas, um supercomputador e até um reator nuclear.
Outra parte importação de programa Erasmus são as pessoas que conhecemos e com quem partilhamos esta grande experiências. Na Turquia tive a oportunidade de conhecer pessoas espectaculares, que vinham de todos os cantos do mundo. E todos os ano tentamos marcar um encontro de erasmus com essas mesmas pessoas.
Os cinco meses que tive na Turquia, ainda são os cinco melhores meses da minha vida.»

 

NOME: André Filipe Gomes Cardoso

IDADE: 31
PROFISSÃO: Estudante & Presidente da ESN Algarve
LOCAL: Graz (Austria) & Faro
CURSO: Gestão de Empresas

INSTITUIÇÃO: Poznan University of Economics
PAÍS: Polónia
ANO: 2012/2013

A minha experiência de Erasmus foi uma das melhores experiencias da minha vida, conheci e tive o privilégio de me relacionar com pessoas fantásticas, completei 9 cadeiras e viagens por diversos países e cidades dentro da Polónio, melhorei o meu Inglês e o Espanhol assim como aprendi variadas expressões e palavras em várias outras línguas, seguramente abriu-me tanto os horizontes que resolvi com alguns colegas criar a Erasmus Student Network Algarve, já ajudava estudantes internacionais desde 2011 e ainda continuo a ajudar, o que é muito gratificante.

 

NOME: Fulvia Almeida Baiao

IDADE: 39
PROFISSÃO: Diretora de Antena
LOCAL: RUA FM
CURSO: Ciências da Comunicação

INSTITUIÇÃO: Plymouth Marjon University
PAÍS: Reino Unido
ANO: 1998/1999
 

Foi extraordinária! Adorei! Fiz amigos, viajei um pouco, inclusive ao país vizinho (França), cresci enquanto pessoa e sem dúvida que o meu mundo se ampliou. A minha experiência como Erasmus Student mudou a minha vida, tornou-a maior!

 

NOME: Ana Marta Vieira Vaz

IDADE: 23
PROFISSÃO: Estudante
LOCAL: Universidade do Algarve
CURSO: Psicologia Clínica e da Saúde

INSTITUIÇÃO: Lessius Hogeschool Antwerp
PAÍS: Bélgica
ANO: 2012/2013

A minha experiência Erasmus serviu, principalmente, para eu crescer. Foi a primeira vez que morei sem os meus pais; a primeira vez que viajei de avião; a primeira vez que saí sozinha; a primeira vez que percebi o que é viver.
Conheci pessoas que, ainda hoje, posso dizer que são minhas amigas. Com quem, passados anos, continuo a falar como se os tivesse visto ontem. Pessoas que conhecem um lado meu, que mais ninguém conhece.
A experiência académica também foi muito enriquecedora: aprendi coisas que os meus colegas de Portugal desconheciam. Entrei em contacto com uma Psicologia diferente da que é praticada em Portugal.
É sempre difícil partilhar aquilo que vivemos lá fora. Posso apenas realçar o facto de me ter superado. Enfrentei os meus medos sozinha e, confesso, que sabe melhor do que quando temos ajuda. Sentimo-nos (mais) capazes. Prontos para o próximo desafio. Prontos para a vida.



Mobilidade ESTÁGIOS

NOME: Rudolfo Van Breda e Rocha - estágio

IDADE: 37
PROFISSÃO: Chefe de Controle no Hotel Meliã Gaia Porto
LOCAL: Vila Nova de Gaia
CURSO: Gestão Hoteleira

INSTITUIÇÃO: Holiday Inn Swansea
PAÍS: País de Gales
ANO: 2002

 

Tive a felicidade de poder ter uma experiencia no estrangeiro.
Em 2002 os estágios no estrangeiro chamavam-se Leonardo Da Vinci.
Temos de estar preparados para sair da nossa zona de conforto.
Tive de falar sempre o Inglês felizmente o Welch é apenas falado como dialeto, facilitou bastante pois estamos familiarizados com o Inglês.
Tentar perceber uma nova cultura e viver num clima bem diferente do nosso, também é uma aprendizagem.
No estágio esforcei-me e mostrei interesse, tendo os orientadores dado a oportunidade de experimentar mais áreas de gestão do que inicialmente previsto.
Foi muito bom para o meu crescimento como pessoa e como profissional.

 

NOME: Walter Hernández - estágio

IDADE: 32
PROFISSÃO: Relações Públicas
LOCAL: Espanha- Lanzarote
CURSO: CET Gestão e Animação Turística

INSTITUIÇÃO: Hotel H10 Rubicon Palace - Lanzarote
PAÍS: Espanha
ANO: 2008 /2009

 

A minha experiência foi única. Fiz o meu estágio em Lanzarote e voltaria a faze-lo.

Share Partilhar