Clone do freixo histórico Duarte d’ Armas

Clone do freixo histórico Duarte d’ Armas

Um clone do secular freixo (540 a 550 anos) Duarte d’Armas, oferecido pelo município de Freixo de Espada à Cinta, foi plantado, no dia 5 de dezembro, às 12h00, no Jardim da Alameda, em Faro. Sobre a árvore que viveu até hoje, foi desenvolvido um projeto de investigação que contou com a colaboração da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, da Universidade do Algarve e do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.

Recorde-se que o Freixo Duarte d’Armas, localizado na zona histórica de Freixo de Espada à Cinta, foi representado por Duarte d’Armas, no Livro das Fortalezas, que o escudeiro executou, entre 1509-10, a mando de D. Manuel I. O protocolo de colaboração entre as universidades permitiu desenvolver um conjunto de tarefas com vista à recuperação e manutenção da árvore, culminando na melhoria da sua condição global. Foi feita a propagação seminal e, como forma de preservar e divulgar este património e realçar a importância dos recursos florestais, criaram-se 22 clones. O primeiro clone foi plantado nos jardins do Palácio de Belém, no passado dia 21 de março, os restantes freixos foram, na sua maioria, entregues às capitais de distrito.

Este projeto é o exemplo de uma colaboração de sucesso entre várias universidades e investigadores da área das Ciências e das Humanidades do Norte ao Sul do País. A Universidade do Algarve teve um papel destacado e foi chamada a intervir na parte histórica da investigação. Alexandra Mariano, docente do Departamento de Artes e Humanidades, da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da UAlg, foi a responsável pelo enquadramento socio-histórico da vila de Freixo de Espada à Cinta, pela sistematização da vida e obra de Duarte d’Armas, pelo estudo do manuscrito que se encontra na Torre do Tombo, e pelo levantamento das lendas associadas à vila e ao freixo.

A plantação da árvore no Jardim da Alameda, em Faro, dá-lhe a relevância que merece e, simultaneamente, permite uma chamada de atenção para as questões ambientais e, em particular, para os problemas prementes da floresta.