Curso de Verão 2019 "BioTour"

Data: 01 julho - 05 julho

Horário: 09h30 - 12h30

Local: Campus de Gambelas, Faculdade de Ciências e Tecnologia

Vagas: 16

Matérias de estudo/cursos de interesse: Biologia/Biotecnologia

OBJETIVOS

 Este curso pretende mostrar a Biologia e a Biotecnologia nas suas várias vertentes, de uma forma interactiva, através de experiências, incluindo:

  • a produção de plantas em tubo de ensaio;
  • a caracterização de algumas propriedades de um enzima;
  • a análise de microorganismos e da sua relação com a biotecnologia; 
  • entender como os animais mudam de cor e perceber que há bactérias amigas do ambiente. 


CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

Dia 1  julho 
Cosméticos e fármacos que encontramos no mar!

Muitos organismos marinhos como as algas, invertebrados marinhos e plantas, possuem compostos com atividade biológica (metabolitos secundários) que as espécies desenvolveram com o propósito de melhor assegurarem a sua sobrevivência. Muitos destes compostos marinhos são biomoléculas como polissacarídeos, péptidos, ácidos gordos e fito-hormonas com potencial aplicação na indústria farmacêutica, cosmética ou como suplemento nutricional.
Nesta atividade daremos a conhecer as várias etapas do processo de descoberta e teste dos compostos bioativos, desde a prospeção dos organismos marinhos, extração e purificação dos compostos e avaliação da sua bioatividade.
Nesta atividade, haverá oportunidade de participar em ensaios pré-clínicos, realizados em laboratório de cultura de células e tecidos, como forma de avaliar o potencial terapêutico/cosmético dos compostos.

Local: Edifício 7 - Sala 2.57 e Laboratório 0.31

Dia 2  julho 
Porquê caracterizar algumas propriedades de um enzima da batata?

O enzima polifenoloxidase (ou tirosinase) está presente em células animais, bem como em células vegetais.
Apesar da sua função biológica específica nas plantas não estar bem definida, as reações que lhes estão associadas são facilmente observadas quando certos tubérculos ou frutos (batatas, maçãs ou bananas) escurecem quando são cortadas ou descascadas, e deixadas ao ar. Este escurecimento é devido à formação de difenois e às reações de oxidação que estes sofrem em sequência. Em células de mamíferos, este enzima está envolvido numa via metabólica própria dos melanócitos, nos quais ocorre a sequência de reações que originam as melaninas, que são os pigmentos que conferem a coloração à pele, aos cabelos e aos olhos.
É a reação de oxidação aeróbia de orto-difenois em orto-quinona que possibilita a realização de uma avaliação qualitativa da reação do enzima polifenoloxidase, pois a orto-quinona tem uma coloração avermelhada. No presente trabalho vamos observar a ação do enzima sobre o catecol (ou orto-difenol) e verificar alguns fatores que influenciam a sua atividade, tal como a temperatura, as concentrações de enzima e de substrato, a presença de inibidores.

Local: Edifício 2, Laboratório de Bioquímica

Dia 3 julho 
Os microrganismos e a Biotecnologia
Os alunos visitarão os Laboratórios de Microbiologia e de Engenharia e Biotecnologia Ambiental, onde irão contactar com diferentes microrganismos e práticas em Biotecnologia. Pretende-se que tenham a perceção do conceito de Biotecnologia e do contributo que os microrganismos têm na biotecnologia e na sociedade. Serão desenvolvidas atividades de observação de microrganismos e sistemas biológicos de produção de biocombustível. Terão ainda contacto com sistemas de microalgas para a produção de diferentes produtos de interesse comercial.
Local: Edifício 8, Laboratório de Microbiologia e Laboratório de Engenharia e Biotecnologia Ambiental (Lab. 2.40) e Laboratório de aulas 2.43


Dia 4 julho 
Como é que os animais mudam de cor?
O padrão de coloração pode ser uma das características mais importantes de algumas espécies e está relacionado com o reconhecimento intra- e interespecífico, e ainda com o mimetismo e a camuflagem. 
Nesta atividade, vamos perceber quais os mecanismos fisiológicos subjacentes à mudança de cor em diversos grupos de animais.
Os estudantes realizarão também experiências em laboratório (in vitro) que demonstram a influência de alguns parâmetros físicos e químicos na mudança de cor de uma espécie de peixe.

Local: Edifício 7, Laboratório 0.32.2

Dia 5 julho 
Bactérias amigas do ambiente
Após uma introdução ao tema os alunos visitarão o Laboratório de Tecnologias Ambientais, onde terão oportunidade de observar e contactar com processos de biorremediação para tratamento de efluentes, nomeadamente águas ácidas de mina, contaminadas com metais.
Os alunos procederão à recolha e análise de amostras contaminadas e de efluentes tratados recolhidos dos processos em desenvolvimento no laboratório.
Desta forma, terão contacto com algumas técnicas de análise e compreenderão melhor o papel e as potencialidades das bactérias na biotecnologia ambiental.

Local: Sala com projetor de slides, Laboratório de Tecnologias Ambientais, Laboratório 2.35 e Laboratório de aulas 2.43.
​​​​​​​