Nova espécie para a ciência

Nova espécie para a ciência

São espécies do filo Kinorhyncha, as primeiras descritas em Portugal, duas delas são totalmente novas para a ciência e foram encontradas em amostragens realizadas na costa algarvia, por um biólogo que contou com o apoio de investigadores do Centro de Ciências do Mar (CCMAR) da UAlg.  

A meio fauna é composta por animais com dimensões entre um milímetro e 38 micrómetros, que vivem entre os grãos de areia ou no lodo dos ecossistemas aquáticos. Tendo representantes de vários grupos de animais - os designados filos - esta comunidade é importantíssima para o estudo da biodiversidade e, até, para a tomada de decisões políticas em prol de um desenvolvimento ambiental sustentado.  De facto, a presença de meio fauna relaciona-se positivamente com a qualidade dos sedimentos das zonas costeiras que, por sua vez, têm um elevado valor sócioeconómico devido às atividades turística e pesqueira aí realizadas. No ambiente marinho, são exemplo desta comunidade de animais alguns crustáceos e vermes microscópicos.  Outros grupos há que são exclusivos da meio fauna marinha, como é o caso do filo Kinorhyncha – vulgarmente designados dragões do lodo.  

Tendo por objetivo iniciar o estudo sobre a biodiversidade de quinorrincos em Portugal, o biólogo Ricardo Neves, investigador da Universidade de Basileia, na Suíça, fez varias amostragens na costa Algarvia e na Ria de Aveiro, entre Fevereiro de 2012 e Setembro de 2014. De entre várias espécies de Kinorhyncha encontradas, duas são totalmente novas para a ciência. As novas espécies, descobertas na zona de Faro e Albufeira e a uma profundidade entre 35 e 100 metros, foram designadas Echinoderes lusitanicus e Echinoderes reicherti.  

O trabalho de Ricardo Neves resultou da cooperação entre o grupo de Investigação Pesqueira (CFRG), do CCMAR,  a Universidade de Basileia (Biozentrum) e o projeto Europeu ASSEMBLE.  

A descrição destas novas espécies foi recentemente publicada na revista científica Marine Biology Research (http://tandfonline.com/doi/full/10.1080/17451000.2016.1154973). Este artigo é assinado por Ricardo Neves, como primeiro autor, e conta ainda com a participação de investigadores de Espanha e da Dinamarca. 

Sobre o Centro de Ciências do Mar (CCMAR):

O Centro de Ciências do Mar (CCMAR) é uma organização privada sem fins lucrativos, de investigação científica na área das ciências do mar. O CCMAR é um dos mais importantes centros em Portugal, e desenvolve linhas de investigação em áreas como a biologia marinha, pescas, aquacultura, ecologia e biotecnologia. O CCMAR possui cerca de 300 membros, 150 dos quais doutorados, e 40 alunos de doutoramento e é membro de várias organizações internacionais como o EMBRC, o ELIXIR e EMSO. O CCMAR está localizado no Campus de Gambelas da Universidade do Algarve, que é associada do CCMAR.  

Foto: Echinoderes lusitanicus. Este espécime é um macho desta que foi a primeira espécie nova descrita para Portugal. Créditos: Ricardo C. Neves e Martin V. Sørensen. 

Share Partilhar