UAlg dinamizou projetos no âmbito do ATLAZUL

A sessão de encerramento do projeto transfronteiriço ATLAZUL, que visou impulsionar o crescimento azul, decorreu no dia 7 de junho, em Sevilha.
Share
 

Do lado português, dezoito parceiros beneficiaram deste projeto, entre as CCDR do Algarve e Alentejo. No domínio da governança e do planeamento, as Universidades do Algarve e de Évora, Sines Tecnopolo, IPMA e Docapesca, enquanto entidades, implementaram e dinamizaram projetos em concreto.

A Universidade do Algarve, através da atividade 1, consolidou o Observatório do Estuário do Guadiana como ferramenta para uma adequada gestão destes ecossistemas costeiros, baseada em ciência aberta, disponibilizando as séries de dados numa plataforma internacional.

A UAlg coordenou ainda a atividade 3, responsável por dinamizar iniciativas inovadoras e ações transfronteiriças e de especialização inteligente na economia azul, recorrendo à integração setorial entre turismo, pesca e aquicultura. Nestas ações destacam-se iniciativas entre empresas, academia e cidadãos em geral, como o evento de inovação azul e sustentabilidade, realizado na Eurocidade do Guadiana.

Nestas jornadas do Atlazul projetou-se a economia azul e os desenvolvimentos futuros na Península Ibérica, em especial nas regiões transfronteiriças, Portugal e Espanha, e no resto mundo.  Alexandra Teodósio, vice-reitora para a Internacionalização e Desenvolvimento Sustentável, explicou que “os parceiros se juntaram simbolicamente no local onde se iniciou a viagem de circum-navegação por Fernão de Magalhães para mostrar que existe um único oceano que nos une a todos! Os resultados do Atlazul indicam que apenas cuidando e com usos sustentáveis do imenso azul, poderemos ter futuro”. 

A UAlg participou no Atlazul através do Centro de Ciências do Mar (CCMAR), Centro de Investigação em Turismo, Sustentabilidade e Bem-Estar (CinTurs), Centro de Estudos e Formação Avançada em Gestão e Economia (CEFAGE) e Centro de Investigação Marinha e Ambiental (CIMA).

O projeto contou, em termos financeiros, com um orçamento de 5,5 Milhões de Euros e foi cofinanciado pelo FEDER, através do Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriça Interreg V-A Espanha Portugal (POCTEP).

Relacionadas