Apresentação
O mestrado em Aquacultura e Pescas tem duas especializações: uma em Aquacultura e outra em Pescas. Para além das áreas predominantes do curso Aquacultura e Ciências das Pescas, outras áreas importantes são Ciências do Ambiente e Ciências Biológicas.

Objetivos

São objetivos principais do curso fornecer conhecimentos adequados à produção de organismos aquáticos bem como análise e compreensão da avaliação, gestão, exploração sustentável e conservação dos recursos vivos.

Competências

Produção de espécies em diferentes regimes de produção aquícola e gestão e conservação de recursos marinhos; (2) planeamento de ensaios experimentais e amostragens; (2) comunicação com públicos especialistas e não especialistas de conceitos e práticas; (3) aprendizagem ao longo da vida de modo autónomo.

Legislação Aplicável

Este curso foi criado em 2003 (Deliberação do Senado SU-17/2003, de 21 de maio). Foi adaptado a Bolonha em 2006 (Deliberação n.º 1288/2006, publicada no DR, 2ª s, n.º 184 de 22 de setembro) e alterado em 2012 e em 2015 ( Aviso n.º 10809/2015, pub no DR, 2ª s, n.º 186, 23 de setembro de 2015), alterado em 2020 (Aviso 12670/2020, DR, 2ª s, n.º 169 de 31 de agosto).

Propinas e taxas 2021/2022

Candidatos nacionais: 1100 Euros

Candidatos internacionais*: 4000 Euros

Taxa de candidatura: 50 Euros

Taxa de inscrição e seguro escolar: 175 Euros

Nota: A propina deste curso pode ser paga em 10 prestações, sendo a primeira no ato da matrícula e as restantes nos meses de outubro, novembro, dezembro, janeiro, fevereiro, março, abril, maio e junho.

* de acordo com o Decreto-lei n.º36/2014, alterado pelo Decreto-Lei nº 62/2018, de 6 de agosto, são considerados estudantes internacionais os nacionais de um estado que não seja membro da União Europeia e que não residam legalmente em Portugal há mais de dois anos, de forma ininterrupta, em 1 de janeiro do ano em que pretendem ingressar no ensino superior.

As candidaturas aos cursos de Mestrado são efetuadas através do Portal de Candidaturas
 
Saídas Profissionais
  • Em instituições, privadas e públicas, ligadas à investigação nas áreas das pescas e da aquacultura
  • Em profissões liberais, consultadorias e assessorias e mesmo no estabelecimento de novas empresas, especialmente em áreas de inovação biotecnológica, aquacultura e valorização de produtos
  • Em entidades relacionados com a preservação e conservação do meio ambiente, em Associações de pescadores ONGs , e mesmo em empresas de pesca, como técnicos de laboratório, de amostragem, e de monitorização. Em estações de cultivo de organismos marinhos, como técnico de laboratório