Apresentação

Objetivos

O Mestrado em Tecnologia de Alimentos do Departamento de Engenharia Alimentar (DEA), do Instituto Superior de Engenharia da Universidade do Algarve, pretende formar Mestres com capacidades de intervenção profissional ao nível da conceção e inovação no domínio das ciências e tecnologias da área alimentar.

O desenvolvimento de produtos alimentares requer o conhecimento e a compreensão da natureza física, química e biológica dos alimentos, das alterações resultantes do processamento tecnológico e dos métodos de controlar as diferentes etapas da produção com vista à obtenção de produtos finais com a qualidade desejada.

Funcionamento

O curso organiza-se pelo sistema de unidades ECTS e corresponde ao 2.º Ciclo de formação no ensino superior na perspetiva do protocolo de Bolonha.

O curso de Mestrado tem 120 ECTS, distribuídos por 2 anos (4 semestres), integrando duas partes distintas: um curso de especialização com 60 ECTS; e um trabalho de projeto, original e especialmente realizado para este fim, ou um estágio em contexto profissional objeto de relatório final e discussão em provas públicas, com 60 ECTS. Os alunos, em função dos seus objetivos específicos de formação, poderão escolher o tipo de trabalho que irão realizar, trabalho de projeto ou estágio em contexto profissional.

Os alunos abrangidos pelo Despacho RT.033/2011 (licenciados pré-Bolonha, v. abaixo) poderão apresentar, também em provas públicas, um relatório detalhado da sua atividade profissional como trabalho final de curso.

A componente curricular do Mestrado (1º e 2º semestres), i.e. "Curso de Especialização", funciona em regime pós-laboral e, dos 60 ECTS que o constituem, 20 ECTS dizem respeito a quatro unidades curriculares (UC) de opção, através das quais se pretende que os alunos desenvolvam competências transversais às suas áreas de interesse. Das UC de opção, uma em cada semestre deverá pertencer à área científica de Indústrias Alimentares – Ciência e Tecnologia de Alimentos (IA-CTA), podendo a outra UC pertencer a qualquer área científica (QAC). As UC de opção poderão ser realizadas em qualquer Escola/Universidade, nacional ou estrangeira, que ofereça cursos de 2º Ciclo organizados segundo os critérios do Protocolo de Bolonha. A frequência com aproveitamento em qualquer uma das UC poderá ser certificada, a pedido do interessado, no respetivo domínio de conhecimento. Após a conclusão, com aproveitamento, da parte letiva do Mestrado (que corresponde a 60 ECTS) o aluno poderá solicitar o Diploma de Curso de Especialização em Tecnologia de Alimentos.

Propinas e taxas 2021/2022

Candidatos nacionais: 1100 Euros

Candidatos internacionais*: 2000 Euros

Taxa de candidatura: 50 Euros

Taxa de Inscrição e Seguro Escolar: 175 Euros

Nota: A propina deste curso pode ser paga em 10 prestações, sendo a primeira no ato da matrícula e as restantes nos meses de outubro, novembro, dezembro, janeiro, fevereiro, março, abril, maio e junho.


* de acordo com o Decreto-lei n.º36/2014, alterado pelo Decreto-Lei nº 62/2018, de 6 de agosto, são considerados estudantes internacionais os nacionais de um estado que não seja membro da União Europeia e que não residam legalmente em Portugal há mais de dois anos, de forma ininterrupta, em 1 de janeiro do ano em que pretendem ingressar no ensino superior.

As candidaturas aos cursos de Mestrado são efetuadas através do Portal Académico.
 
Saídas Profissionais

Os Mestres em Tecnologia de Alimentos poderão desempenhar funções de quadro-técnico, quadro-superior ou dirigente/chefia na indústria alimentar.

As suas competências permitir-lhes-ão desenvolver atividades profissionais em variadas áreas de trabalho como por exemplo processamento e análise de alimentos e bebidas (alcoólicas), investigação e desenvolvimento de novos processos e produtos alimentares, avaliação e mitigação do impacto ambiental da indústria, segurança alimentar ou fiscalização, rastreabilidade e autenticidade de produtos alimentares.