Apresentação
A intervenção no desenvolvimento e planeamento regional, bem como no desenvolvimento rural, numa perspetiva holística, é uma lacuna no nosso País em termos de ensino pós-graduado, o que justifica o interesse deste curso. A estrutura curricular deste curso assenta num projeto científico integrado, pautado por um fio condutor de interligação de conhecimento entre as diferentes matérias no âmbito da Economia, das Ciências Agrárias, das Ciências do Ambiente e da Ciência Política.

Objetivos

  • Formar técnicos com capacidade para ordenar o espaço rural e fazer a gestão dos recursos naturais de forma sustentável

Competências

O curso confere aos graduados capacidade para intervir no planeamento sustentável do território, nomeadamente ao nível do desenvolvimento local, da conservação do património natural, do turismo rural, da política agrícola e da implementação e controlo de práticas agrícolas sustentáveis.

Funcionamento

O curso funciona em regime de ensino a distância (b-learning).

Legislação Aplicável

O curso foi criado em 2006 (Deliberação n.º 1604-A/2007, publicado na DR, 2ª s, n.º 160, de 21 de Agosto de 2007), alterado em 2012 (Despacho n.º 9310/2012, publicado no DR, 2ª s, n.º 132 de 10 de julho de 2012), em 2017 (Aviso 11266/2017, publicado no DR, 2ª s, n.º 187, em 27 de setembro) e em 2020 (Aviso 13869/2020, DR, 2ªs, n.º 179 de 14 de setembro)

Propinas e taxas 2021/2022

Candidatos nacionais: 1100 Euros

Candidatos internacionais*: 4000 Euros

Taxa de candidatura: 50 Euros

Taxa de inscrição e seguro escolar: 175 Euros

Nota: A propina deste curso pode ser paga em 10 prestações, sendo a primeira no ato da matrícula e as restantes nos meses de outubro, novembro, dezembro, janeiro, fevereiro, março, abril, maio e junho.

* de acordo com o Decreto-lei n.º36/2014, alterado pelo Decreto-Lei nº 62/2018, de 6 de agosto, são considerados estudantes internacionais os nacionais de um estado que não seja membro da União Europeia e que não residam legalmente em Portugal há mais de dois anos, de forma ininterrupta, em 1 de janeiro do ano em que pretendem ingressar no ensino superior.

As candidaturas aos cursos de Mestrado são efetuadas através do Portal de Candidaturas
 
Saídas Profissionais
  • Explorações agrícolas
  • Associações em meio rural (associações de desenvolvimento local, grupos de ação local, organizações de produtores florestais, cooperativas agrícolas, etc.)
  • Operadores turísticos em espaço rural
  • Entidades públicas com responsabilidade na gestão do espaço rural (Câmaras Municipais, ICNF, CCDR, Ministério da Agricultura, etc.)