Metodologia

Estrutura Curricular

Este curso inovador em Portugal caracteriza-se por:

  • Um currículo integrado baseado em problemas clínicos (PBL) que cobre os três primeiros anos
  • Um contacto próximo com a prática clínica desde a primeira semana do curso, sendo que nos dois primeiros anos a tónica a prática  da Medicina Geral e Familiar em Centros de Saúde, onde cada aluno é acompanhado por um tutor (rácio 1:1). Nos dois últimos anos na Medicina Hospitalar, em rotações entre diversas especialidades, nas quais, cada dois alunos são acompanhados por um tutor (rácio 2:1)
  • A possibilidade dos estudantes gerarem um currículo adaptado aos seus interesses através da unidade curricular (UC) Módulo de Escolha do Estudante e da realização de um estágio de 10 semanas durante o 4.º ano (6.º ano curricular)
  • Um curso desenhado com base na experiência de outras universidades a nível mundial. Esta partilha do desenho e estrutura do curso foi publicado num artigo científico colaborativo entre quatro universidades

Aprendizagem Baseada em Problemas Clínicos

A aquisição de conhecimentos teóricos das ciências básicas e das ciências clínicas é baseada em problemas clínicos reais (método conhecido por Problem-Based Learning – PBL) através de duas sessões tutoriais semanais, de 3 horas cada, em grupos de 8 alunos, cada grupo assistido por um tutor. 

 

 

No MIM-UAlg é fomentada uma relação horizontal de proximidade com os alunos, de forma a que participem de forma ativa na melhoria do curso e nos seus resultados. Neste sentido todas as semanas os alunos têm uma reunião (briefing) com os responsáveis do curso, articulada com o horário de forma a permitir que todos os alunos possam assistir. A avaliação é um aspeto extremamente cuidado no MIM-UAlg, de forma a assegurar a elevada qualidade dos nossos graduados. Aos novos alunos do curso é entregue um guião onde ficam a conhecer de forma detalhada o curso, as instalações e demais informações úteis.

Briefing

Semanalmente os alunos reúnem-se com o responsável do curso de forma a fornecer um feedback constante e participativo do funcionamento das diversas unidades curriculares, contribuindo desta forma para um contínuo processo de avaliação e melhoria do curso.

Seminários

Os alunos do MIM-UAlg têm à sua disposição uma grande variedade de seminários, que são articulados com o horário e com os conteúdos programáticos das demais unidades curriculares de forma a permitir a sua assistência e um melhor aproveitamento dos mesmos. Estes seminários são oferecidos por especialistas nas mais diversas áreas clínicas, permitindo aos alunos:

  • Complementar a aprendizagem de acordo com tópicos do programa
  • Colmatar possíveis falhas nos conhecimentos
  • Esclarecer eventuais dúvidas da autoaprendizagem

Mobilidade nacional e internacional

Aos alunos MIM-UAlg é incutida a importância da mobilidade nacional e internacional, que é conseguida através de duas Unidades Curriculares obrigatórias: Opção (Eletivo) e Módulo de Escolha do Estudante. Esta oportunidade única a nível nacional permite aos alunos um contacto estreito com a investigação e com outras realidades médicas.

Opção (Eletivo)

Na unidade curricular opção (Eletivo) o aluno realiza um estágio de prática clínica, normalmente no estrangeiro.

Esta Eletivo tem como objetivo aprofundar uma área/tema da medicina do interesse do aluno, a realizar em centros de referência nacional ou internacional. Este deverá ser realizado por um período de 8 semanas, numa especialidade médica à escolha do aluno. De facto, a maior parte dos alunos MIM-UAlg têm escolhido o estrangeiro (Europa e resto do mundo) para realizar esta Unidade Curricular, em Portugal têm se distribuídos pelos mais diversos hospitais do país.

Módulo de Escolha do Estudante (MEE)

No Módulo de Escolha do Estudante (realizado no 1.º, 2.º e 3.º anos) o aluno MIM-UAlg realiza um trabalho de investigação laboratorial básica e um trabalho de investigação clínica.

Tipos de Módulo de Escolha de Estudante:

  • O MEE de Investigação Laboratorial (obrigatório) tem como objetivo familiarizar o futuro médico com o processo de investigação em ciências básicas. Pretende-se objetivamente que o aluno elabore uma questão científica, aplique uma ou mais técnicas experimentais para responder a essa questão e faça uma análise detalhada dos resultados obtidos
     
  • MEE de Investigação Clínica (obrigatório) permite familiarizar o futuro médico com o processo de investigação em ambiente clínico nos diversos níveis de cuidados. Este processo deverá ter início com a identificação de uma questão clínica relevante sobre a qual se desenrolará toda a pesquisa conducente a um estudo clínico. Entende-se como “estudo clínico” qualquer investigação de cariz clínico sustentado numa substancial quantidade de trabalho envolvendo aspetos como: observação, recolha de dados, diagnóstico ou intervenção terapêutica, num ou mais pacientes/sujeitos. Esta noção inclui mas não se limita aos ensaios clínicos no sentido estabelecido pela Directiva da União Europeia (2001/20/EC)
  • O MEE de Revisão Bibliográfica permite introduzir o aluno a uma das tarefas iniciais e fundamentais da investigação clínica/laboratorial, pois a pesquisa bibliográfica sobre um tema faz parte do processo de investigação e do quotidiano dos investigadores. Neste MEE o estudante terá oportunidade de conhecer e utilizar as principais ferramentas que permitem obter e organizar a bibliografia, selecionar as fontes mais adequadas de referências e aprender a evitar os principais erros cometidos numa pesquisa bibliográfica

  • O MEE Formativo / Intervenção Comunitária tem como objetivo permitir aos futuros médicos uma melhor perceção do seu exercício na comunidade como um todo, devidamente integrados e multifacetados em ambiente comunitário. O aluno deverá preparar um plano de atividades, colocá-lo no terreno, analisar os resultados obtidos e elaborar um relatório de atividades. A direção do MIM-UAlg será envolvida neste processo, avaliando as mais valias do projeto e sua integração na missão do curso

  • MEE de Revisão Sistemática tem como objetivo incentivar os alunos a desenvolverem projetos de investigação, nomeadamente através da avaliação de dados secundários com revisões sistemáticas e meta-análises. Durante o ano letivo o aluno é convidado a participar num projeto, preferencialmente de grupo, no qual realiza uma revisão sistemática de um tema à escolha

Existe uma forte ligação entre o MIM-UAlg e a investigação científica, uma vez que os estudantes têm a obrigatoriedade de realizar projetos de investigação na unidade curricular Módulo de Escolha de Estudante. Como resultado destes projetos de investigação resultaram diversas publicações e comunicações em congressos, nas quais os nossos alunos são autores. 

Na componente da investigação básica existe uma relação muito próxima do curso com o Centro de Investigação em Biomedicina (CBMR), onde muitos dos docentes do curso desenvolvem os seus projetos. A elevada qualidade da investigação realizada no CBMR é patente no elevado número de publicações em revistas internacionais de grande índice de impacto. Estas publicações (período 2014-2016) que contam já com diversas colaborações com o MIM-UAlg (através dos projetos de investigação realizados pelos alunos) constam do último relatório da comissão externa de avaliação e acompanhamento do CBMR.

Laboratórios e equipamentos

A FCT e a Universidade do Algarve assinaram em Setembro de 2009 um Protocolo destinado a financiar um projeto de investimento em equipamentos (lista completa) para o desenvolvimento de atividades científicas numa “Estratégia de desenvolvimento científico da Medicina/Biomedicina da Universidade do Algarve.

O sistema de avaliação do MIM-UAlg é baseado em diversos mecanismos já devidamente testados e comprovados internacionalmente:

  • Os conhecimentos teóricos são avaliados em testes PPI (Personal Progress Index, McMaster), que são efetuados de forma simultânea outras escolas médicas de todo o mundo. Esta ferramenta amplamente validada internacionalmente permite ainda uma comparação real e constante dos resultados e da progressão dos alunos MIM-UAlg com os alunos de outras universidades internacionais (ver imagem abaixo)
  • Os conhecimentos teóricos adquiridos são ainda avaliados através dos exames baseados nos conteúdos programáticos da Unidade Curricular: Ciências Básicas e Clínicas (testes PBL). Os testes PPI são realizados três vezes por ano letivo em todos os 4 anos do curso, enquanto que os testes PBL são realizados três vezes por ano letivo, nos três primeiros anos do curso

 

  • As competências práticas são avaliadas por meio de OSCEs (Objective Strcutured Clinical Examinations) em todos os 4 anos do curso
  • Nos dois últimos anos de curso são ainda avaliados nos hospitais por dois mecanismos adicionais: CDBs (Case Based Discussions) e CEX (Mini clinical Evaluation Exercises)
Gráfico MIM

 

Documentos

Métodos de avaliação no mestrado integrado em Medicina
Regulamento de frequência e avaliação
Regulamento de revisão de classificações
 

Unidade de Educação Médica

A Unidade de Educação Médica (UEM), é uma unidade de apoio consultivo e não deliberativo do Departamento de Ciências Biomédicas e Medicina da Universidade do Algarve, que trabalha em colaboração com diretores de curso, comissão científica e pedagógica, colaboradores internos, colaboradores externos e estudantes.

Organização

A UEM organiza-se em três grandes vertentes: Pedagogia, Qualidade e Investigação.

Missão

A missão desta unidade visa garantir mecanismos de acompanhamento aos níveis do:

  • Desempenho pedagógico dos docentes convidados mediante processos de qualidade e monitorização internos já existentes
  • Desenvolvimento de ferramentas e outros recursos para melhoria progressiva do processo pedagógico
  • Promoção da investigação em educação médica, quer ao nível da avaliação de resultados quer através de modelação ajustada aos perfis dos intervenientes neste modelo de ensino médico
  • Acompanhamento diferido dos médicos que já concluíram o Mestrado Integrado e que se baseia, essencialmente, na avaliação das taxas de retenção na região do Algarve e respetiva georreferenciação nacional por especialidade

 

Regulamento da UEM